08/06/2016

Queridos, mudámos de casa!

aqui me tinha queixado da casa onde vivíamos. Talvez fosse por termos entrado mais ou menos no segundo seguinte aos inquilinos anteriores terem saído e a casa nunca ter estado vazia, a casa nunca ganhou o nosso cheiro pessoal. Além disso, os problemas sucediam-se, possivelmente agravados por ser Inverno, o senhorio assobiava para o lado e eu ia ficando cada dia menos satisfeita com toda a situação. Às tantas, já ninguém suportava as "peculiaridades" da casa! E a nossa casa (mesmo que não seja nossa, como neste caso) deve ser um sítio onde nos sentimos bem.

Iniciámos a busca e digo-vos já que demorou semanas, meses mesmo. Ou eram estupidamente caras, ou não tinham espaço suficiente, se eram boas não tinham espação exterior, se tinham espaço exterior não permitiam ter animais, ... Enfim, uma saga. Acabámos por alargar geograficamente a nossa área de procura e encontrámos esta casa onde estamos agora. Até agora, é tudo de bom! Entre a praia e o campo, não é grande, nem pequena, é do tamanho ideal para nós, a bicharada tem toda o seu espaço e até temos uma hortinha. Digo que já que não nasci para a agricultura, mas é um luxo poder comer coisas que sabemos de onde vêm. Desde que chegámos, já morangámos (oh, sim!) e todas as plantas, que tinham ficado moribundas na casa anterior, regressaram à vida. Como bónus, podemos ver um rebanho passar todos os dias nas traseiras da casa! Há lá vida mais pacata que esta!?

Queridos, (ainda bem que) mudámos de casa!

(Tão depressa espero não haver outra mudança destas! Duas mudanças em cerca de 6 meses e feitas em tempo recorde é obra!)

Sem comentários:

Enviar um comentário