09/06/2016

Dicas para fazer uma mudança (mais ou menos) pacífica

Uma mudança pode ser uma dor de cabeça: desmanchar tudo, transportar tudo para a nova casa, meter tudo no sítio, mais tudo o resto que este processo envolve. Isto piora se o tempo e o orçamento forem limitados. Estas são as minhas dicas, baseadas na minha experiência, e valem o que valem.

- Se têm um bom orçamento e não querem chatices contratem um daqueles serviços em que eles fazem tudo: empacotam, embalam, desmontam, transportam, desembalam, montam e ainda limpam a casa por cima. Tudo enquanto o cliente bebe uns mojitos. Cheira-me que isto não é para toda a gente. É melhor meterem mãos à obra!

- A menos que tenham um amigo com uma carrinha muuuuito grande, vão precisar de contratar alguém para fazer o transporte das coisas maiores (sofás, electrodomésticos, ... os monos, portanto). Não se acanhem, peçam orçamentos (por escrito) e não se fiquem pelo primeiro que receberem, porque a diferença pode ser bem grande. No nosso caso, recebemos orçamento para 1000€ e tal e para 100€ e tal. Pois, faz diferença!
Apesar de termos levado muitas coisas de carro em várias (bastantes) viagens, principalmente coisas sensíveis, objectos pessoais, etc..., conseguimos encher o camião/carrinha até à porta. Até não termos muitas tralhas, mas quando se junta tudo o que é grande é realmente muito. Além disso, optámos por não desmontar algumas coisas para não termos de voltar a montá-las: cómodas, estantes, etc...
Ah, sim, escolhemos a mais barata e não tivemos nenhuma razão de queixa.

- Se tiverem amigos que não têm uma carrinhas, mas têm vontade de ajudar, já é alguma coisa. As caixas não se enchem nem transportam sozinhas e os móveis também precisam de ajuda para ser desmontados.

- Por precaução, em caso da transportadora não pedir, façam uma lista dos artigos a transportar.

- Uma casa livre de tralha e organizada facilita e muito a mudança. É tudo mais fácil de embalar e desembalar e de não se perder nos entretantos.

- O ideal é que à medida que as coisas vão chegando à casa nova comecem logo a metê-las no sítio. Mais vale fazer as coisas enquanto se está com o entusiasmo todo, porque assim que bater a lanzeira, as caixas vão ficar ali a um cantinho até um dia, quando der jeito.

- Por amor de Jesus, metam uma caixa/mochila de parte para cada membro da família com uma muda de roupa, artigos de higiene e coisas básicas. Se entretanto parte das coisas já tiver ido para a casa nova ou se já estiver naquele caixote por baixo de outros 30, não vão querer ser apanhados sem cuecas lavadas ou a ter de galgar por cima de móveis e caixas. Do mesmo modo, deixem uns utensílios de cozinha básicos para poderem comer uma "bucha", se for preciso. Em alternativa, na última noite encomendem uma pizza ou algo que não precise de muita assistência.
Se tiverem animais não se esqueçam dos básicos para eles também.

- Não percam documentos importantes, objectos de valor sentimental ou valiosos por aí numa caixa qualquer. Reservem uma caixa "VIP" só para esse efeito.

- Não percam tempo com coisas em que já não têm interesse. Se houver tempo, uma separação na casa antiga do que é lixo e do que pode ser doado/vendido, evita andarem a transportar coisas de que não vão precisar. Isto funciona bem se forem micoquinhas da organização, porque o trabalho está mais ou menos feito. Se forem acumuladores e tiverem o tempo contado, esqueçam lá isso, ou nunca mais desamparam a casa ao senhorio.

- Se tiverem possibilidade de tirar uns dias no trabalho pode ser uma boa ajuda para não se atirarem para o chão de cansaço e nervos. Garanto que combinar isto com o trabalho e o tempo contado é dose!

Esta coisa das mudanças pode ser de enlouquecer uma pessoa. Queremos isto que, entretanto, já está na casa nova precisamente por isso, por já não estar disponível. Há uma confusão de sacos e caixas e mobília no meio do caminho, mas tudo bem. É temporário! Não stressem demasiado com isso. Em breve, tudo estará no sítio outra vez para um novo começo. Eu gosto de novos começos!

Sem comentários:

Enviar um comentário