17/04/2015

Minimalismo/ Organização/ eu sei lá

Não sei se sou exatamente uma minimalista (não vou aos extremos de uma cama, uma cadeira, uma caneca, um prato e 3 pares de meias) ou se sou apenas uma pessoa organizada. Quando era criança/ adolescente era um bocado mais desorganizada, mas a mudança deu-se quando vim morar para esta casa, que não é propriamente um portento de espaço. Pode dizer-se que a falta de espaço (e de dinheiro) são mesmo os melhores remédios para desenvolver um comportamento minimalista, organizado e anti-tralha.
Já lá vão muitos anos. A minha dizia que eu era uma pessoa estranha (e se calhar também não se engana!!). Só anos mais tarde é que descobri que há mais como eu e que até têm um nome.

Acima de tudo, funciono melhor num espaço organizado e acredito que a organização facilita-nos a vida, pois evita coisas como aqueles 30 minutos à procura daquele papel e uma camada de stress em cima. E com esses minutos podemos fazer outras coisas que são muito mais interessantes.
Além disso, a organização também pode ser uma maneira de não gastarmos dinheiro desnecessariamente.

No entanto, acho que cada um deve viver como se sente melhor e que tentarmos ser algo que não somos pode antes ser muito mais stressante do que termos uma vida organizada para vivermos com menos stress. Não me stressa muito a desorganização dos outros. Trabalhei com pessoas que tinham secretárias onde parecia ter rebentado uma granada todos os dias, mas era assim que conseguiam trabalhar. Tudo bem. E tenho amigas que moram numa espécie de Zara em época de saldos. Tudo bem também.

Vou começar a partilhar algumas das minhas dicas de organização em breve. Fiquem atentos se este assunto vos interessa!


Sem comentários:

Enviar um comentário