19/03/2015

E por falar em perturbações telefónicas...

... umas breves considerações:

1. Não é por (quase) toda a gente agora estar contactável 24/7 que tem de estar disponível 24/7, ok? Por isso, nada de chamadas em voz de recriminação "Liguei-te há 5 minutos e não me atendeste..." como se fosse uma obrigação e ninguém pudesse estar a fazer mais nada senão esperar uma chamada. E isso leva-me a outra coisa.

2. É tão estupidozinho atender chamadas enquanto se está a ser atendido numa loja e nem se fala com a pessoa do outro lado da linha, nem com a pessoa que está a atender e que também merece algum respeito assim como as pessoas que estão à espera e que não só podem ser privadas da conversa como agradecem que as outras se despachem.

 Role play:

Pessoa A (ao telefone): Espera aí um bocadinho, que estou na farmácia. Boa tarde, é para aviar a receita.
Pessoa B vai lá dentro aviar a receita.
Pessoa A: Bla bla bla, e depois ele disse assim e eu respondi assado... Bla bla bla.
Pessoa B olha, esperando que a pessoa se manque. Na ausência disso, diz: Não temos este medicamento disponível. Quer que encomende.
Pessoa A: Ai, espera aí um bocadinho. Como diz?
Pessoa B repete.
Pessoa A: Sim, pode ser.
Enquanto Pessoa B tecla diligentemente, Pessoa A volta à carga.
Pessoa A: É que não há o medicamento que eu preciso. (Pode seguir-se uma breve explicação do historial médico) Mas estava eu a dizer, eu respondi-lhe assado e ele vira-se e diz-me...
Pessoa B: Já encomendei o medicamento. Dê-me o seu contacto para avisarmos quando chegar.
Pessoa A (outra vez): Espera lá só um bocadinho.

Podia continuar, mas não vale a pena, pois não?

A chamada é assim tão importante que não possa esperar uns minutos? Talvez não.

3. Esta é mais velha do que o mundo. "Ah, nunca mais ligaste, nunca mais disseste nada," diz o vosso interlocutor, ao qual têm mesmo de responder "Olha, tu também não!" Claro que depois a pessoa vai dizer que tem estado ocupada com o trabalho/ a família/ a escola/... e quanto a vocês, nem vale a pena meterem-se numa discussão sobre compromissos e gestão de tempo, que não vai levar a nada. Têm daqueles amigos (com ou sem aspas) com quem falam todos ou quase todos os dias e já é uma coisa tão automática, que nem sabem quem ligou a quem? Experimentem este pequeno truque: Tenham o telefone "impossibilitado" de fazer chamadas por meia dúzia de dias e vão ver quem é que se preocupa o suficiente para ligar.

Sem comentários:

Enviar um comentário