23/08/2014

Meu pobre velhote

Há muitos anos que tenho gatos e, não morando num apartamento, eles têm autorização de saída. Dão as suas voltinhas, afiam as unhas nas árvores, rebolam-se na terra, fazem grandes sonecas ao sol e preferem usar o grande sanitário exterior do que o caixote de areia. Nunca se afastam muito e depois do recreio voltam para casa.
Há uns 2 dias reparei que o meu gato tinha uma coisa no pelo. Pensei que era uma daquelas bolinhas que parecem de velcro que apanham nas ervas. Não era! Tinha um chumbo alojado numa omoplata. Não bastando ser um velhote resmungão e surdo como uma porta (nem deve ter dado por nada até aquilo se enterrar no corpo, não tendo sequer como fugir), alguém achou por bem brincar ao tiro ao alvo com ele.
A essa pessoa desejo que alguém lhe enfie uma chumbada testículos acima para ver se gosta. Ah, sim, isto é coisa de testosterona desregulada.
O gato está bem, felizmente!

Sem comentários:

Enviar um comentário