04/08/2014

3 coisas que há 10 anos eram muito out e agora são super in (e ainda bem)

- Levar a marmita com o almoço e mais o lanchinho da manhã e o da tarde e sabe Deus mais o quê

Há mais ou menos 10 anos quando chegava a hora de almoço uns quantos gatos pingados tiravam o bom do Tupperware da mala e eram olhados com um misto de nojo e pena pela maioria que almoçava nos restaurantes. Assim como ninguém percebia porque razão se traziam iogurtes de casa para o lanche quando no café ao lado vendiam os mesmos iogurtes (pelo triplo do preço, claro). Isso hoje mudou. Quer pela crise, quer pela adopção de hábitos alimentares diferentes é até trendy levar o seu próprio almoço. As revistas fazem artigos sobre isso, publicam as receitas ideais para fazer de véspera, a Tupperware lançou as caixinhas mais jeitosas e com talheres e divisórias a lembrar os Bento japoneses e há bolsas todas giras à venda para enfiar tudo lá dentro sem parecermos a família que vai para a praia com o Campingaz atrás.

- Saber fazer croché, tricô, costurar à máquina e afins

Até uma certa altura não se podia admitir que se sabia fazer certas coisas porque era embaraçoso e até um bocado foleiro (é foleiro dizer foleiro?) quer diante de mulheres quer diante de homens. Felizmente isso está a mudar e hoje já há bastantes sítios onde há cursos dos chamados lavores e com bastante aceitação e sem vergonhas. Confesso que (já) não sei croché e tricô nunca soube, mas que vou costurando qualquer coisinha mais simples na minha máquina e que gostava mesmo de saber mais qualquer coisa.

- Restaurar, reciclar e renovar

Ninguém, ou muito pouca gente, andava à procura das peças do tempo dos afonsinhos para perder dois fins de semana de volta delas e lhes dar uma cara nova. Não havia tempo nem vontade para coisas velhas quando se podia comprar tudo novo. Agora há menos dinheiro, logo há mais vontade para procurar peças especiais e dar-lhes uma nova vida. Eu pessoalmente gosto muito de peças mid century e acho que dão um toque único a uma casa, mas ainda não me atrevi a meter maus à obra numa empreitada dessas.Comprar em 2ª mão também já não é assim tão ai-meu-Deus-que-parecemos-pobrezinhos como dantes.

Nota: Não recebi nada da Tupperware para escrever este post (mas tenho pena), nem da Campingaz (já não tenho assim tanta pena)


2 comentários: