21/05/2014

Ai, as surpresas que vieram com os 12 anos

O pior que se pode fazer é pressioná-los a fazer seja o que fôr: a ser xpto porque a mãe ou o pai sempre foram isso assim como o tio e o avô ou, pelo contrário, a ser aquilo que os pais não conseguiram ser. Sou a favor de os deixar voar com as próprias asas (sempre comigo de olho no passaroco).

Tinha pena que ele não quisesse aprender a andar de bicicleta, mas nas férias da Páscoa lá se decidiu, por ele, a montar na dita cuja e agora não quer outra coisa. Outra coisa que me fazia pena era o seu desinteresse pelos livros (logo eu que sempre gostei de ler). Desde bebé que tem livros de todos os feitios, mas insistia que não achava piada nenhuma aquilo e quem acabou por ganhar com a situação foram as minhas sobrinhas que ficaram com uma bela biblioteca infantil. Agora há dias disse que lhe apetecia ler Ulisses da Maria Alberta Menéres e assim que o acabou atirou-se a outro livro (e bem gordinho por sinal) sem medo e cheio de entusiasmo.

A entrada nos 12 anos tem trazido estas boas surpresas e é bom vê-lo alargar horizontes e a fazer estas escolhas por ele.

2 comentários:

  1. Isso é bom :D é muito bom quando os filhos ( e eu que não tenho) mas crianças em geral decidem fazer algo pela decisão deles e não quando os pais querem. Oxalá a paixão pela leitura continue :) só faz bem.

    ResponderEliminar